Awin Thoughts: O que o marketing de afiliação pode fazer pelo meio ambiente?

  • Escrito por

Como a indústria de afiliação, tradicionalmente associada com consumo em massa, pode se tornar uma alavanca influenciadora no movimento ambiental.

Compartilhe

Essa opinião não é incomum no que diz respeito ao público comum. De fato, foi apenas em janeiro que a Associação de Publicidade do Reino Unido publicou um inquérito que revelou que a percepção pública da publicidade tinha caído para um mínimo histórico de apenas 25%.

Fazer uma diferença positiva para a sociedade não está necessariamente associado ao que todos nós fazemos diariamente. Gostando ou não, aquele relatório complicado com o qual você lutou durante toda a semana para  comparar com precisão a participação do seu cliente no mercado de seguros não vai aliviar a pobreza global de forma discernível.

É por isso que foi interessante notar a presença proeminente da indústria de publicidade nos protestos climáticos da semana passada.

A Awin tomou uma boa decisão ao permitir que seus funcionários participassem dos protestos, apoiando-os em seu direito de lutar pela causa.

Ao longo da margem do rio em Victoria Tower Gardens, ao lado das históricas Casas do Parlamento, milhares de manifestantes ouviram discursos deplorando a apatia política demonstrada pelo governo, gritaram por mudanças e seguraram cartazes articulando toda a gama de emoções que a crise climática tem provocado. Esperança, sátira, desespero e fúria.

Entre os eventos realizados estavam vários da iniciativa interprofissional “Create and Strike”, um movimento focado em ilustrar como a indústria da publicidade pode ajudar a contribuir para uma campanha mais ampla.

Tal iniciativa pode parecer paradoxal para muitos. Aqui está uma indústria tradicionalmente no negócio de incentivar o consumo em massa protestando contra o impacto esmagador que esse consumo tem tido até agora no meio ambiente.

Mas a publicidade e o marketing são, em última análise, entidades amorais. São ferramentas para alcançar ações específicas, principalmente a venda de bens e produtos aos consumidores atualmente.

No entanto, com uma mudança de prioridades, essas mesmas ferramentas podem ser um meio profundamente eficaz de alcançar melhorias sociais positivas.

E essas prioridades estão começando a mudar à medida que os hábitos dos consumidores começam a refletir uma consciência crescente de como as coisas que compram afetam o meio ambiente.

Inclusive, com governos e formuladores de políticas ainda arrastando os pés na implementação de leis verdes e regulamentações genuinamente construtivas, muitos indivíduos estão percebendo que tem mais poder para decretar mudanças reais através de suas carteiras do que através das urnas.

O que é ótimo sobre o canal de afiliados é como você pode ver o espírito empreendedor da indústria responder a essa vontade crescente do consumidor. É evidente nos afiliados que chegam e oferecem soluções para isso.

Considere o reGAIN, um aplicativo premiado do Reino Unido que evita que roupas indesejadas vão para aterros sanitários, oferecendo aos usuários um código de desconto em troca dessas mesmas roupas. reGAIN recicla o item indesejado e agora trabalha com uma série de varejistas proeminentes que estão interessados em apoiar e estar associados à proposta.

Ou o Ethical Fashion Guide, um site dedicado a reunir em um único espaço todas as marcas de moda globais que vendem produtos de moda fabricados de forma ética para facilitar as compras com consciência.

Ou a Shop Green, um site de diretório de varejistas que usa a comissão que recebe das vendas para financiar o plantio de árvores em todo o mundo, compensando as emissões de carbono.

E isso sem esquecer o número crescente de marcas éticas que estão entrando no canal, usando afiliados como meio de se conectar com a crescente faixa de consumidores conscientes online.

Marcas como a Hand in Hand nos EUA, uma marca de cuidados pessoais que doa uma barra de sabão e um mês de água limpa para uma criança que precisa de todos os produtos comprados.

Ou a Natura Brasil, uma varejista de produtos de beleza neutra em carbono que é a primeira B Corp de capital aberto e uma defensora da sustentabilidade ambiental.

Ou, longe do setor de beleza, a fornecedora italiana de energia limpa Alperia, usando afiliados para promover seu fornecimento de energia renovável para clientes locais.

Ultimamente, se as ações são o que é necessário para alcançar o tipo de mudanças dramáticas que os especialistas argumentam que precisamos, então o marketing de afiliação pode talvez ser uma alavanca influente nesse impulso geral.

Sua força como modelo de publicidade tem como premissa sua ancoragem no mundo real. O canal de afiliados orgulha-se em entregar ações reais dos consumidores. Historicamente, tem sido sempre na forma de vendas validadas ou leads. Os afiliados são premiados por seus parceiros anunciantes para entregar esses resultados tangíveis.

Portanto, faz sentido que os afiliados possam, de forma semelhante, conduzir mudanças ambientais no mundo real se os mecanismos de recompensa estiverem alinhados de forma semelhante.

Um programa de afiliados configurado para recompensar comissões mais elevadas por produtos mais amigos do ambiente, ou um programa que recompense os afiliados por reduzirem as taxas de retorno dos clientes, reduzindo assim o impacto ambiental de custos adicionais de entrega e embalagem, pode trazer esse tipo de mudança.

Mas uma expectativa de que os anunciantes mudem seus modelos de incentivo da noite para o dia é improvável e injusta. É necessária mais intervenção por parte dos governos para garantir que as questões ambientais se tornem uma prioridade para todas as empresas, ao lado da rentabilidade como um resultado desejado.

Aliado à crescente demanda dos consumidores por valores éticos das empresas de onde compram, o marketing de afiliação (e a publicidade em geral) pode desempenhar um papel fundamental na mudança da direção da mudança climática.

Artigos Relacionados

É importante para o anunciante aproveitar algumas das principais áreas de crescimento no marketing digital que surgiram nos últimos dois anos. Nós compartilhamos as principais áreas para focar para garantir que você aproveite ao máximo seu programa de afiliados em 2017 e após.