Como gigantes da tecnologia vem lutando para apoiar novos afiliados e o crescimento do canal

  • Escrito por

Mark Zuckerberg parece estar em uma longa missão para consertar a internet.

Compartilhe

Em janeiro, Zuckerberg declarou que o seu desafio pessoal de 2019 é entrevistar uma série de especialistas globais sobre o futuro da tecnologia na sociedade. Ao longo das últimas semanas, ele publicou declarações sobre questões de regulamentação e privacidade virtuais.

Na semana passada, ele entrevistou Mathias Döpfner, CEO do maior grupo de afiliação da Europa e a empresa-mãe da Awin, Axel Springer. O assunto variou desde a privacidade e regulamentação, até a natureza da democracia na era digital, a ascensão da China e, os desafios enfrentados pelos afiliados tradicionais de notícias e de mídias.

Esse último assunto colocou os dois CEOs em campos opostos. O registro do Facebook quando se trata de ajudar afiliados de conteúdo e da qualidade de monetizar seu trabalho não é grande coisa. Somente no ano passado, em uma tentativa de garantir que o tempo gasto no Facebook fosse "bem gasto", foram rebaixadas publicações de notícias e de organizações de mídia do feed de notícias de usuarios.

O fato de que, muitos afiliados utilizavam visualizações e cliques de plataformas como o Facebook para ajudar a financiar seu trabalho através da publicidade, indiscutivelmente levou a corrida para o buraco. O modelo de  ‘attention economy’ incentivou o clickbait, a desinformação e as fake news, em detrimento de conteúdo bem pesquisado e informado. 

Zuckerberg sugeriu que suas equipes estavam de fato trabalhando em um produto, chamado 'News Tab', que poderia ajudar a resolver esse problema. Um feed separado, em que conteúdos e notícias de alta qualidade seriam veiculados por afiliados autorizados. Essas páginas teriam uma relação direta com o Facebook e seriam pagas pela plataforma, devido a inclusão do seu conteúdo.

Informações específicas não foram compartilhadas, mas pode ter sido, uma resposta pontual ao anúncio do novo serviço de assinatura de notícias da Apple. Com o Apple News+ sendo comercializado como uma oferta de conteúdo, no valor de $8.000 por apenas $9,99 por mês, algumas pessoas questionaram sobre os valores que a Apple estaria repassando aos próprios criadores de conteúdo.

A monetização de conteúdo é um fator que não vai desaparecer tão cedo da esfera digital. Principalmente se a UE aprovar sua controversa lei de direitos autorais digitais. A Axel Springer tem sido uma grande defensora da nova lei, mas já fazem alguns anos que a empresa foi forçada a reconsiderar a restrição do uso do conteúdo de suas publicações de notícias  pelo Google, quando o tráfego de encaminhamento para seus sites caiu.  

Enquanto isso, cada vez mais empresas de mídia e novos afiliados acabam se voltando para o canal afilição, para ajudar a compensar suas publicidades decrescentes. Em todo o mundo, o canal tem testemunhado um interesse crescente  por parte dessas instituições. Desde a Schibsted Media nos países nórdicos e a Buzzfeed nos EUA, até empresas como a Mondadori Group na Itália ou a ESI Media no Reino Unido, vários grandes afiliados de mídia estão fazendo parcerias diretamente com marcas através da Awin.

Esse interesse no canal levou mais inovação e apoio ao seu desenvolvimento, ajudando afiliados a monetizarem efetivamente seus tráfegos. Recentemente, vimos vários novos parceiros tecnologicos de terceiros chegarem fornecendo soluções para muitas das questões práticas que esses afiliados enfrentam, ao otimizarem as parcerias de afiliados em sites que geralmente são grandes e pesados, contendo um labirinto de conteúdos e artigos.

A Trackonomics fornece dashboards que agregam dados em diferentes plataformas de anúncios, além de identificar onde a podridão dos links se instalou para evitar a perda de comissões. As ferramentas de comparação de preços e compras do Monetizer101 oferecem soluções plug & play que podem ser inseridas diretamente em artigos e conteúdos relevantes. A Monotote permite que os usuários comprem diretamente no ponto, transformando vídeos e imagens dos sites de afiliados em conteúdo comercializável sem serem redirecionados para os sites dos anunciantes.

Essas são apenas algumas das inúmeras ferramentas disponíveis para esses afiliados e que representam o tipo de ciclo virtuoso de inovação do canal de afiliação. À medida que os debates aumentam nos mais altos níveis sobre a natureza e a forma da monetização de conteúdo online, os afiliados estão se dedicando ao negócio de soluções práticas que podem recompensa-los melhor devido a seus esforços.

Artigos Relacionados