Compras Sazonais e de Natal 2017

  • Escrito por
Black Friday, Cyber Monday e tendências de compras do Natal 2017.

Compartilhe

Após anunciar o dia de maior número de transações da história da sua empresa, você diria que preferiria que o evento que antecipou este acontecimento não existisse? 

Essa foi a reação do Charlie Mayfield, presidente da John Lewis (loja de departamento que está nos corações de milhões de consumidores britânicos), até a black friday, agora verdadeiramente consolidada no cenário do varejo global.

Resistindo à tendência dos concorrentes e de um setor mais amplo que está lutando para competir com uma infinidade de condições desafiadoras, e o não menos importante crescimento inexorável da Amazon, John Lewis registrou um crescimento ano-a-ano em torno de 4%.

Acontecendo anualmente no dia seguinte ao Dia de Ação de Graças, no final de novembro, o evento se estabeleceu como um fenômeno das compras. 2017 não foi uma exceção, a Awin registrou números nunca vistos antes, já que mais e mais mercados em que operamos adotaram o dia e também ampliaram para o final de semana, finalizando com a Cyber Monday.

O impacto da Black Friday só pode ser realmente apreciado em um contexto mais amplo do pico de transações. Foi apenas alguns anos atrás que o período natural para as compras de Natal foi o mês em que houve queda. Mas com a  criação de um evento relativamente novo em novembro, a repercurssão está sendo vista nos desafios logísticos que isso gera.

Como, então, o sucesso da black friday afetou o comércio do Natal em dezembro?  É o evento de varejo mais importante do mundo que antecipa o interesse dos consumidores, deslocando a performance do pico tradicional? Além do calendário e do impacto do período, quais os insights detalhados adicionais que podemos comprovar a partir dos dados de afiliados na rede global da Awin de mais de 6.000 programas de afiliados?