Mudanças publicitárias destacam o poder de vídeos digitais e de mídias sociais

  • Escrito por

Uma enxurrada de relatórios e previsões foram publicados nas últimas semanas na tentativa de quantificar o estado e a saúde da indústria de publicidade.

Compartilhe

EMarketer, WARC e a IAB são apenas algumas das marcas que tem publicado diversos relatórios que ressaltam uma descoberta singular: a publicidade digital está em expansão.

Tem estado em expansão por algum tempo e irá continuar crescendo futuramente, mesmo em face de quaisquer obstáculos (multas do RGPD/UE/guerras comerciais globais) que possam aparecer no caminho.

Pela primeira vez, em 2019, a avaliação global do eMarketer prevê que anunciantes gastem mais em formatos online do que em formatos tradicionais. Esse ponto de inflexão reflete e é influenciado por uma mudança semelhantes prevista nos EUA este ano.

No Reino Unido, mais de 50% dos gastos com anúncios digitais serão focados apenas em atividades em smartphones, superando o desktop pela primeira vez. Essa porcentagem já foi ultrapassada na Alemanha, na França e ao redor da América Latina, e atividade de smartphones é, de longe, a atividade mais dominante da China, onde representará mais de 80% das despesas deste ano.

Aprofundando esses insights, existem dois aspectos que impulsionam essa posição cada vez mais dominante para o celular: mídias sociais e vídeos.

Uma perfeita tempestade de adoção de celulares em massa, padrões aprimorados de WiFi, e a grande popularidade de uma série de plataformas sociais tem naturalmente guiado tanto os usuários quanto os anunciantes para formatos de mídia cada vez mais elaborados.

A demanda por vídeos em dispositivos móveis é clara quando se considera que o YouTube é a segunda maior ferramenta de busca do mundo (logo atrás da Google) com mais de um bilhão de visualizações de vídeos em dispositivos móveis por dia, compondo até 70% do número total de visualizações.

O Facebook também se envolveu, investindo fortemente em seu próprio serviço de vídeos on demand, o Instagram Stories continua sendo extremamente importante para a plataforma de influenciadores, com sua a presença de anúncios contribuindo com cerca de um terço da receita total do negócio no ano passado.

Enquanto isso, o site de streaming de jogos da Amazon, Twitch, lançou recentemente seu primeiro jogo de marca própria, ‘Twitch Sings’, que muitos rapidamente reconheceram como concorrente das populares ofertas de karaokê em mídias sociais da China, WeSing e TikTok.

Se o jargon fosse uma métrica usada para medir o aumento da popularidade de uma indústria, então o vídeo seria um modelo claro. VOD, OTT, instream, outstream, CPV. Pré-rolo, pós-rolo, meio rolo, rolo de queijo. Apenas um desses é comestível.

A direção da viagem é explícita. Estamos cada vez mais caminhando para uma era em que a presença de vídeo é imperativa para as marcas e em que os ambientes sociais são o espaço para usar esse conteúdo para engajar grandes públicos.

É por isso que essa semana foi especialmente agradável ver essas tendências convergirem para uma das vitórias mais impressionantes da Awin nos UK Performance Marketing Awards em Londres.

A parceria da VOXI com a rede de influenciadores de mídias sociais The Hook escolheu a Melhor Campanha de Marketing de Influenciadores na cerimônia e foi um exemplo claro da tendência identificada pelos recentes relatórios de despesas publicitárias em ação.

A proposta exclusiva da VOXI como uma marca de telecomunicações construída para consumidores mais jovens e mais ligados no celular significava que o marketing tinha que espelhar seu público de nicho. O recrutamento pela Awin do The Hook e colaborações em vídeo com alguns de seus mais proeminentes influenciadores a viram ganhar mais de 8 milhões de visualizações de uma demografia precisamente direcionada, incitando uma série de ações subsequentes extremamente valiosas.

Ofertas de afliados em vídeos são uma tendência crescente em toda a rede global. Desde os inúmeros afiliados do YouTube e influenciadores do Instagram que  clientes incorporam regularmente em suas campanhas, até as ofertas mais personalizadas de propostas locais, como Buyviu na Espanha ou CiaoPeople na Itália.

Com demandas dos clientes para vídeos em mídias sociais em ascensão, há uma série de opções para afiliados na extremidade da oferta para satisfazê-las.

Artigos Relacionados